Hoje em dia nem sempre é fácil conseguir um crédito. Os bancos e outras entidades de crédito fazem tudo de forma cada vez mais segura, de forma a não correrem qualquer risco. No artigo de hoje vamos abordar um tema muito importante para uma parte da população em particular, aqueles que trabalham como autónomos. Iremos tentar explicar para que entenda um pouco melhor como funcionam os empréstimos para autónomos.

Quem é que pode adquirir um empréstimo para autónomos?

Primeiro é preciso saber afinal a que pessoas nos estamos a referir quando dizemos autónomos. Neste caso é referente àqueles que trabalham por conta própria, quer sejam fotógrafos, cabeleireiras, costureiras, pescadores, padeiros, entre muitos outros. Ou seja, qualquer pessoa que tenha, por exemplo, um negócio e que o seu salário não seja fixo. A grande diferença deste tipo de profissionais para outros, é o facto de não terem um valor mensal certo para apresentar às entidades bancárias, e isso cria insegurança. Porque uma das principais características de trabalhar por conta própria é mesmo essa, estar sujeito ao volume de trabalho em cada mês. Acontece que as prestações de um empréstimo não dependem dos nossos ganhos, e o banco precisa saber se a pessoa terá ou não capacidade para suportar as prestações mensais todos os meses.

O que é necessário para conseguir obter um empréstimo sendo autónomo?

Apesar do grande problema explicado acima, a nível da impossibilidade de apresentar ao banco um rendimento fixo, existem formas de contornar o problema e mostrar a entidade bancária que será capaz de fazer frente às despesas do crédito.

Mas há um ponto muito importante, sem o qual dificilmente conseguirá conseguir o empréstimo. Não poderá ter qualquer tipo de restrição, ou seja, não pode ter o nome sujo no SPC ou Serasa. Isso é necessário para quase todos os empréstimos bancários, mas neste caso é ainda mais importante. Se está a tentar mostrar que consegue suportar este empréstimo não pode estar numa situação de endividamento, seria contraditório.

Depois é preciso mostrar que você recebe o suficiente para cobrir as despesas do empréstimo que ambiciona. Para tal, vai necessitar de uma declaração da sua renda que deve ser feita por um contador credenciado. Esta será a forma de mostrar para a entidade bancária os seus rendimentos anuais ou mensais. Alguns bancos pendem também que seja apresentada uma declaração de renda onde seja explícito os seus ganhos dos últimos três meses. Essa é uma forma de saber se está momentaneamente com falta de dinheiro ou se, por outro lado, o seu volume de negócios se mantém normal ao longo dos meses.

É preciso lembrar que este tipo de medidas é importante porque é a única forma que o banco tem de garantir que está a colocar o dinheiro em boas mãos e de que você terá capacidade para fazer frente às despesas. Por deixá-los analisar a sua situação até ficará mais descansado caso confiem em si o montante que pretendia obter. É uma segurança, não só para o banco, como para si também.